9 de fev de 2009

Kill Bill



Matar Bill, outro nome que deixa meu trabalho difícil. Por que sempre assim?
Mas, o filme é um arraso (para não dizer sensacional). A personagem principal, conhecida como a Noiva até o final do segundo filme, era uma assassina profissional. Quem a mandava matar era um homem chamado Bill.
Depois de ficar grávida de Bill, a Noiva decide afastar a filha desta vida antes mesmo da filha nascer, casando-se com o dono de uma loja de discos.
Bill e seus quatro contratados para matar chegam num dos ensaios do casamento (ocorrido em uma capela no México) e matam a todos. Depois de surrarem a Noiva, Bill mete uma bala em seu cérebro.
Mas, a Noiva é forte e sobrevive. Passa quatro anos em coma. Ao acordar, fica com sede de sangue. Tendo certeza de que sua filha morreu, a Noiva vai atrás daqueles que fizeram isso com ela, o irmão de Bill, a chefe da máfia Japonesa, outra mulher que saiu da vida de assassinatos, a namorada de Bill e o Bill.
A única coisa que passa por sua cabeça é matar o cretino de seu mestre. E, então, o sangue jorra.
O filme é espetacular, tem uma linguagem um tanto forte, e cenas de lutas realmente fortes, morte para todo lado.
Mas, fora isso, o filme é ótimo, eu recomendo.

Escrito por Mr. Dottoly

Nenhum comentário: